Categorias

O que é o Organics Brasil?

 

 

Mercado01

Foto: Organics Brasil

 

É um programa de promoção internacional dos produtores orgânicos sustentáveis, fomentado pela Apex-Brasil, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, com direção executiva do IPD, Instituto de Promoção do Desenvolvimento.

O objetivo principal do Organics Brasil é estimular o comércio internacional de produtos orgânicos, através de feiras internacionais, eventos, rodadas de negócios, visitas dirigidas e demais ações promocionais.

O programa foi criado em 2005 pela Apex-Brasil e nos seus dez anos de atuação já conta com 60 empresas associadas e negócios que movimentaram US$ 136 milhões em 2014.

Organics Brasil congrega atualmente mais de 70 empresas brasileiras, nos 6 biomas nacionais, reunindo mais de 1.000 produtos agrícolas, agroecológicos, agroindustriais, cosméticos, têxteis, além de fornecedores de serviços especializados – todas empresas que orientam-se para a produção sustentável, com variados graus de complexidade e certificação nacional e internacional.

As imagens são do fotógrafo Zic Koch

 

Diversidade e exuberância dos biomas brasileiros

Borboletas, Salto Augusto, Rio Juruena, Parque Nacional do Juruena, divisa dos estados do Amazonas e Mato Grosso

Borboletas, Salto Augusto, Rio Juruena, Parque Nacional do Juruena, divisa dos estados do Amazonas e Mato Grosso.

País de grande biodiversidade, o Brasil é um dos patrimônios ambientais mais importantes do mundo. Quase 20% das espécies naturais encontram-se em um dos 6 biomas brasileiros: Amazônia, Cerrado, Caatinga, Pantanal, Mata Atlântica e Pampa. De aspectos variados e ricos, com inúmeras espécies unicamente encontradas em suas regiões, o Brasil é visto como um dos países mais associados à natureza e à necessidade de preservação sustentável.

Neste cenário, o programa Organics Brasil associa a imagem rica e diversificada de seus biomas, porque os produtos brasileiros orgânicos e agroecológicos guardam uma proximidade muito importante com sua região, contribuindo para a inserção econômica sociossustentável de produtores diversos, através das parcerias e acordos de negócios internacionais.

 

Amazônia: o bioma de maior diversidade mundial

Guaraná, Paullinia cupana

Guaraná, Paullinia cupana.

O bioma amazônico é formado por distintos ecossistemas: floresta tropical, florestas e campos inundados, prados, áreas de pastagem, refúgios montanhosos e formações pioneiras.

Guaraná, cupuaçú, açaí, castanha do Pará, andiroba são apenas alguns dos muitos produtos que a vasta reserva amazônica apresenta. Trata-se de um bioma, assim como outros, com grande potencial para a produção sustentável. Um dos exemplos mais conhecidos desta relação proveitosa entre o bioma e a indústria das mais sofisticadas pode ser encontrado no famoso perfume Chanel Nº 5, que recebe parte de sua matéria-prima de uma árvore da região, o pau rosa.

A riqueza da região, com aplicações nos mais diversos setores e benefícios amplos de saúde e sustentabilidade são quase inesgotáveis. Frutos como buriti, pupunha, tucumã, marimari e outros apresentam algumas das mais altas concentrações de carotenoides. Somente nos últimos anos é que grande parte desse patrimônio ambiental começou a ser mais conhecida pelos consumidores no Brasil e no mundo.

 

Cerrado: a impressionante expansão da agricultura brasileira

Parque Nacional das Emas, unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza, sudoeste de Goiás. Foto: Organics Brasil

Parque Nacional das Emas, unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza, sudoeste de Goiás.

O cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, formado essencialmente por uma formação típica das savanas, com arbustos baixos em áreas de gramíneas e vegetação rasteira. Este bioma é considerado um dos mais férteis para a agricultura e excelente também para a criação de gado, onde coexistem simultaneamente grandes e pequenos projetos de produção sustentável.

Duas estações bem definidas caracterizam o cerrado: inverno seco e verão chuvoso. No bioma vivem muitas espécies de vida animal selvagem, de beleza exuberante. No cerrado é bastante característica também a formação de platôs e baixadas, relevo típico das regiões centrais do Brasil.

Espécies regionais de grande potencial tanto extrativista como para produção industrial são o pequi, baru, mangaba, cagaita, buriti, jatobá, cajuí, arnica, mama-cadela, faveira, gueroba, murici e palmeiras, entre outras árvores. Nos cocais são importantes a carnaúba, o babaçu e o buriti. O capim dourado é usado para artesanato de grande sofisticação, com influência indígena.

 

Caatinga: bioma exclusivo do Brasil

Caju, Anacardium occidentale

Caju, Anacardium occidentale.

A Caatinga consiste principalmente de terras semiáridas, formadas por espécies vegetais resistentes a climas de baixa umidade e à chuvas desigualmente distribuídas. Região rica em fruticultura, ervas medicinais, aromáticas e plantas fibrosas como babaçu e bacurizeiro.

O bioma é muito favorável à criação de espécies nativas de abelha, produzindo mel dos mais apreciados e ricos do mundo, sendo a polinização decorrente um elemento crítico para a regulação do ecossistema.

O tipo de solo favorece também o desenvolvimento de frutas fortemente aromáticas. A produção é concentrada em pequenas propriedades de agricultura familiar, normalmente congregadas em ajuntamentos cooperativos. A figura central desse bioma é o sertanejo, com uma cultura rica e típica da região.

 

Mata Atlântica: o bioma mais populoso do Brasil

Mangue, Guaraqueçaba, Paraná

Mangue, Guaraqueçaba, Paraná.

A mata atlântica acompanha toda a costa brasileira, ao longo de dezessete estados. Por esta razão, trata-se de um bioma com grandes variações de clima, solo, vegetação e vida animal. Contudo, em toda esta extensão, há elementos comuns que permeiam esta exuberante reserva de vida natural.

A mata atlântica é a região mais povoada do Brasil e, por esta razão, também, trata-se do bioma mais ameaçado, tornando imprescindíveis as ações de conservação e de políticas de sustentabilidade. Um dos bons exemplos de extrativismo sustentável na região é a exploração de erva-mate nas regiões ao sul do Brasil.

As reservas hídricas da Mata Atlântica atendem 70% da demanda da população brasileira. De forma comum, em toda a extensão costeira, os ventos úmidos vindos do oceano exercem considerável influência.

 

Pantanal: a beleza que espreita o rio

Parque Nacional do Pantanal, Mato Grosso

Parque Nacional do Pantanal, Mato Grosso.

O pantanal é uma formação de planícies inundadas pelas cheias do rio Paraguai, gerando um fantástico e único ecossistema. Fauna e flora de grande beleza ocupam as regiões encharcadas do sudoeste do Brasil, continuando até o Paraguai e a Bolívia.

Entre a Amazônia e o Cerrado, o Pantanal é também habitat de espécies desses dois biomas, além de apresentar espécies endêmicas, que só podem ser vistas na região. Por esta rica biodiversidade, o Pantanal é reconhecido pela Unesco como patrimônio natural da humanidade.

O bioma é propício para o desenvolvimento de produtos com vocação medicinal e variados tipos de mel, de privilegiadas características físico-químicas e sensoriais. Gado orgânico é criado pelas famílias nativas com apoio da WWF Brasil. Trata-se de um excelente exemplo da integração harmônica da atividade econômica com a cultura e o meio ambiente regional.

 

Pampa: os campos do sul do Brasil

Criação de cavalos, campos inundáveis, Mostardas, Rio Grande do Sul

Criação de cavalos, campos inundáveis, Mostardas, Rio Grande do Sul.

No Brasil, o Pampa cobre a região sul, fazendo fronteira com áreas do Uruguai e Argentina. Com extensa formação de gramíneas, o bioma é altamente favorável à criação extensiva de gado de corte e leiteiro, com ampla gama de produtos de origem animal.

Próximo à costa ocorrem vários lagos; com destaque para o maior deles, a Lagoa dos Patos, no município de São Lourenço do Sul, segunda maior lagoa da América Latina, com 265 km de extensão. Nas regiões de campo vive o “gaúcho”, típico homem de fronteira, com forte característica cultural. Os gaúchos criam gado e reúnem-se em pequenas cidades do interior, onde é muito forte o desenvolvimento de agricultura familiar.

A região sul foi destino de grandes ondas de imigração europeia nos séculos XIX e XX, notadamente com populações originárias da Itália e Alemanha, que trouxeram sistemas novos de produção, além de culturas hoje com forte inserção local, como a vitivinicultura. Premiados e apreciados no mundo inteiro são os saborosos sucos de uva integrais e os vinhos espumantes, produtos reconhecidos por sua alta qualidade.

Fotos: Zig Koch

Mais informações

Fonte: Organis Brasil